Archive for 01/11


.

"Não sou para todos.Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestade. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso. São necessárias." vc é necessário...não esqueça.."


Caio Fernando Abreu



APARECIDA E CAMPOS DO JORDÃO


.



Visitei a "famosa Suíça brasileira", agora em pleno verão, e , mesmo assim pude sentir o friozinho que não quis nos decepcionar e deu o ar de sua graça à noite. A família inteira amou a cidade: florida, muito limpa, com sorrisos acolhedores dos moradores e com um rodízio de fondues... hum...!!!!!!!Maravilhoso.
Finalzinho de férias para ninguém botar defeito.Na verdade, Campos de Jordão foi mesmo uma esticada, pois nosso destino principal em São Paulo, era visitar a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, na cidade que leva seu nome.



Missão cumprida, na esperança que nossas orações  possam agradecer todas as bençãos recebidas por nossa família.


FATIANDO A LUA


.






"Com a fome que me encontro, quero comer a lua.E petiscar as estrelas.A sede que tenho é de beber a Via-Láctea...Sinto-me um ser gigante caminhando entre as estrelas fatiando a lua como se fosse um queijo do interior de Minas...Um ser enorme petiscando as estrelas como se fossem azeitonas, das mais saborosas que existem.A Via- Láctea é mais que uma bebida qualquer.E meu licor preferido onde mato a minha sede de poeta."


.













“O poder que eu quisera é dominar meu medo.
Por esse grande dom troco meu verso, meu dedo,
meus anéis e colar.
Só meu colo não ponho no machado,
porque a vida não é minha.
Com um braço só, uma só perna,
ou sem os dois de cada um, vivo e canto.
Mas com todos e medo, choro tanto
que temo dar escândalo a meus irmãos.
...................................................................................
Tristeza é o nome do castigo de Deus
e virar santo é reter a alegria.
Isso eu quero.”





Adélia Prado







Reconstituição


.









90337281, Kohei Hara /Digital Vision


Tive de repente
saudade da bebida que eu estava bebendo...
tive saudade e tentei me lembrar que gosto faltava,
qual era a bebida...
Fui procurando entre copos e móveis
e dei com sua boca.

A saudade era dela
A bebida era o beijo.



Elisa Lucinda

LONGE DE CASA...


.











Saudade é um pouco como fome.Só passa quando se come a presença.Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Clarice Lispector.

Blog da Mel


.

Minha filha pediu-me esta semana para ter um blog.Não sei se inspirada ou influenciada pelas visitas ao meu.Disse que queria "postar" poesias suas e de outros poetas.Sem dúvida muito cedo, mas resolvi estimular a escrita e mais ainda  a sua leitura.Com apenas 8 anos, sinto-me extremamente orgulhosa com os pequenos frutos que começam a surgir das sementes plantadas por nós.
Caros leitores, por favor, façam uma visitinha.Mãe e filha agradecem.

www.melissapoesia.blogspot.com


.

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar."


Clarice Lispector



.





(...)farei o possível para não amar demais as pessoas,sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz.

Clarice Lispector

PEQUENO ESCLARECIMENTO


.




Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação. O de que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios. Um silêncio... Este impoluível silêncio  em que escrevo e em que tu me lês.

Mario Quintana

COMPANHEIRO


.

Como não assisto novelas (nada contra, há quem goste) não presto muita atenção nas trilhas sonoras.Ontem tive o privilégio de ouvir a linda canção abaixo, entoada por meu tio Luiz Pena, um eterno seresteiro. Alguns trechos se encaixam perfeitamente neste início de mês, onde temos a sensação que na verdade, nada mudou.Os dias continuam iguais." Nada muda se você não mudar". "E cante que é bom viver..."