Viagens de Gulliver - especial para a 6ª série Biotécnico


.

object width="425" height="344">Se eu tivesse que fazer uma lista de seis livros a serem preservados quando todos os outros fossem destruídos, certamente colocaria Viagens de Gulliver entre eles.” Queridos alunos, o livro demorou um pouco a chegar (infelizmente)mas tenho certeza que vocês já se encantaram pelo personagem criado pelo autor Jonathan Swift: Gulliver. Seguem algumas informações para ajudá-los no trabalho. Na época em que a obra foi escrita, o Reino Unido da Grã-Bretanha era formado pela Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda. Os Irlandeses não eram tratados como os demais integrantes, pois sua população era de origem celta e sua religião era católica. Embora tivessem o direito de votar, por serem católicos não podiam ter cargos públicos. A população vivia na mais sórdida miséria. Em 1666 foi vedada a exportação de gado para o reino e começou a criação de carneiro, sendo que o comércio entre as duas ilhas caiu consideravelmente. Como se não bastasse, em 1699, uma outra lei decretada pela Inglaterra proibia a exportação para outros mercados do mundo, tudo sob uma política escravizadora, fazendo com que milhares de fabricantes abandonassem o país, enquanto a Coroa Inglesa devorava a Irlanda. Em 1694, o novo regime, do qual John Locke foi teórico "Ensaio sobre o Governo Civil -1690", foi confirmado pelo Ato do Estabelecimento, que assegurava a sucessão de Guilherme III, à sua cunhada Rainha Ana. As idéias dos filósofos iluministas começam a ser difundidas na Inglaterra e eram: Separação dos Três poderes, a liberdade de comércio e o direito de propriedade; acreditavam na razão humana como a forma autêntica para a compreensão da sociedade, sendo ela a fonte de todo o conhecimento. Havia dois grupos políticos: 1- Tories é o nome do grupo que deu origem ao Partido Conservador. 2- Whigs formavam o grupo que originou o Partido Liberal. Os Tories defendiam as prerrogativas do Rei e os privilégios da Igreja Anglicana e o suporte dos Whigs vinha dos setores da aristocracia e comerciantes de Londres, estes advogando uma política de maior tolerância com católicos e não-conformistas (presbiterianos). Primeira Viagem (A Liliput) - Personagens Principais Sr. Limuel Gulliver - Morador de uma pequena propriedade em Nottinghamshire, terceiro filho de uma família de Cinco. É enviado aos 14 anos para Emanuel College, em Cambridge, onde permaneceu por três anos aplicados aos estudos de Medicina. Torna-se aprendiz do Sr. James Bates. Aplica-se aos estudos da navegação e outras partes da matemática, úteis a quem tenciona viajar. Golbasto Momaren Evlane Gurdilo Shefin Mully Ully Gue - Imperador de Liliput. Monarca de todos os monarcas, mais alto do que os filhos dos homens, agradável como a primavera, confortativo como o verão. Skyresh Bolgolam – Antagonista. Ministro e almirante do rei de Liliput; pessoa de muita confiança do amo e grandemente versada em negócios, mas rabugento e áspero. Sem motivos, torna-se inimigo mortal de Gulliver. Flimnap - Tesoureiro do rei (amigo de Gulliver), deixou de ser amigo mais tarde devido à calúnias envolvendo sua esposa e Gulliver. - Personagens Secundários. Sr. Bates - Mestre, professor, eminente cirurgião de Londres. Srta. Mary Borton - Segunda filha do Sr. Edmund Burton (que era negociante de meias em Newgate Street, que trouxe como dote 400 libras), esposa de Gulliver. William Prichard - Comandante do Antílope, navio em que Gulliver fez sua primeira viagem significativa com destino às índias Orientais. Limtoc - o general. Lalcon - o camareiro. Balmuff - o grande juiz. Redigiu contra Gulliver uma acusação por traição e outros crimes capitais. » Segunda Viagem (Broldingnag) - Personagens Principais Gildrig - Como Gulliver foi chamado na terra dos gigantes. Glumdalclith ou Amazinha - Filha do Gigante, uma menina de nove anos. Esperta para a idade, muito perita na agulha (boa costureira); Carinhosa, amiga e protetora inseparável de Gulliver. Grilbrig - O Fazendeiro. Pai da Amazinha, homem ganancioso, ganhava dinheiro com as apresentações de Gulliver. Quando Gulliver adoece, ele o vende para a rainha de Broldingnag. - Personagens Secundários Rainha - Se dedicava as coisas fúteis do reino, considerava Gulliver uma criatura inteligente que servia para distraí-la. Rei -Possuía grande sabedoria, mantinha longas conversas com Gulliver a respeito da Inglaterra. O Anão da corte -Era o menor adulto do país, com apenas 9 metros de altura, proferia palavras irônicas a respeito do tamanho de Gulliver, invejava-o, pois havia perdido, para ele, a preferência da corte. » Terceira Viagem (Laputa) - Personagens Principais O Rei - Como o restante dos habitantes, dava importância ao estudo da matemática e da música. Munodi - Pessoa de primeira categoria. Foi governador Lagado, capital de Balnibardi, durante alguns anos. Os Batedores - Principal função era despertar tanto o Rei como os habitantes com mascateiros a fim de trazê-los ao assunto atual. Glubbdubdrib - (próxima cidade a ser visitada por Gulliver) Ilha dos feiticeiros ou mágicos. O Rei - Era mágico, invocava os espectros dos mortos para servi-lo durante 24 horas. Atencioso respondia para Gulliver todas as indagações feitas sobre sua cidade. Luggnagg - (Terra dos Imortais) Características Gerais - Povo cortês e generoso, tratam polidamente os estrangeiros. Nasciam muito raramente: Primeiro com uma mancha vermelha e circular na testa (sinal de ser imortal). Essa marca aumentava e mudava de cor com o passar do tempo que seria chamado Struldibrugs. » Quarta Viagem (País dos Houyhnhnms) Amo - Amigo de Gulliver. Cavalo com características humanas: dotado de fala, é ele quem ensina a Gulliver as primeiras palavras da terra dos cavalos. Houyhnhnms - Cavalos falantes, dotados de raciocínio e atitudes humanas. Yahoos - Seres com características humanas com comportamento irracional. "... Tinham a cabeça e o peito cobertos de pêlos grossos, crespos em alguns e lisos em outros;... a pele, de uma coloração castanha de camursa..." principal mensagem transmitida pela obra "Viagens de Gulliver " é que o meio social e político da época e, sobretudo o ser humano, são repletos de vícios e de maus valores éticos. Ao afirmar que, ao escrever a obra pretendia "agredir o mundo, não diverti-lo". O autor pretendia, na realidade, mostrar ao homem como são "ridículos" são seus valores e o seu corportamento e, dessa forma, mostrar quais são os bons valores éticos e morais que devem existir em uma sociedade. Em "Viagens de Gulliver", Swift procura mostrar, através da sátira, a vida política e social da Inglaterra no século XVII. Embora a intenção alegórica mais direta e pessoal esteja relacionada com a política britânica, sua sátira visa especialmente à humanidade. Torna-se evidente a valorização dos padrões civilizados da época: mentalidade burguesa que se consolidaria logo mais no século XIX com o Romantismo.

Your Reply