Gosto do gosto doce das palavras que me beijam


.




Gosto de senti-las.Gosto de lambuzar-me.O doce néctar das palavras me faz poeta na dor, no amor, no cansaço e na agonia.O gosto doce na boca me seduz.
Minha cabeça já não pesa.O açúcar entorpece.Uma sensação de leveza despudorada e insensata agora me comanda.
As palavras surgem lentas,sem sentido.
Deveras, o efeito doce turbina meu pâncreas e a sensação de tontura permanece.
Que gosto inebriante têm as palavras...
Não quero outra sensação, nem outro sabor.
Só o gosto doce das palavras.


Andréia Souto - (para o desafio de junho da Fábrica de Letras )

Your Reply