.

Mês apertado este de agosto.Dias que não paro para escrever, para ler...meu blog ficou um tanto esquecido.Algumas atribulações às vezes nos tiram da nossa rotina, bagunçam um pouco a vida.Mas nada que não possa ser resolvido.O corpo cansa, a alma também.Se o coração sofre, pela veia mais dolorida, a do cordão umbilical, fico mais  sensível, sinto perder um pouco o foco. Tudo vai dar certo.


Que, finalmente, o outro entenda: às vezes me esforço mas não sou nem devo ser a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa - uma mulher.


Que o outro não me considere sempre disponível, sempre compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.


Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.


Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.


Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza.


Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.


Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.


Lya Luft



One Response to “ ”

  1. Andréia
    Lindo texto da Lya Luft, obrigada por me apresentar a ele. Gosto muito da sua visita aos meus delírios, você sempre deixa um comentário muito gentil.
    beijo
    Denise

Your Reply