Doce de Aninha


.

(...)vive dentro de mim  

a mulher do povo.
Bem proletária.
Bem linguaruda,
desabusada, sem preconceitos,
de casca-grossa,
de chinelinha,
e filharada.
Vive dentro de mim
a mulher roceira.
-Enxerto de terra,
meia casmurra.
Trabalhadeira.
Madrugadeira.
Analfabeta.
De pé no chão.
Bem parideira.
Bem criadeira.
Seus doze filhos.
Seus vinte netos.
Vive dentro de mim
a mulher da vida.(...)

Cora Coralina

One Response to “Doce de Aninha”

  1. Lindo esse poema.
    Beijo
    Denise

Your Reply